Não é de hoje que a discussão sobre a magreza das modelos na passarela e sobre as capas de revista recheada de photoshop está incomodando muitos críticos e fashionistas mundo a fora.

Corpos e Formas  difícil de serem alcançados, devido ao biotipo de cada pessoa, fazem com que muitas garotas fiquem loucas e  desesperádas para atingí-los.

Pensando nesse contexto negro do mundo da moda, sites e revistas resolveram investir no conceito de aceitar as pessoas como são! Incluindo em suas matérias  pessoas reais, editorias com modelos plus size e capas com pessoas reais.

Nomes fortes como de Glória Kalil já aderiram á este conceito. A nossa rainha fashionista apostou uma coluna inteira só para modelos Plus Size  com dicas e editoriais especiais em seu site, clique aqui para dar uma olhadinha! Nada que idéias e dicas que REALMENTE funcionam para as garotas fora do padrão 34 ao 38.

Já ouviu falar da revista Nanu? Não? Bom eu também não conhecia até a semana passada, mais  devido á um covite que recebi para o lançamento da  11° edição da revista (merece post á parte!), soube de sua existência e um pouco da sua história. A revista é de Blumenau e foi criada pela fotógrafa Susana Pabst em 2007, traz em suas edições matérias fashionistas e pessoas hypes. Até aí nada de anormal para uma revista, mais o enfoque interessantíssimo dado pela revista é que o conceito de capa não são preenchidos por modelos e sim por pessoas normais e interessantes. Com matérias ótimas (algumas disponíveis no site), podemos ter  uma outra visão do mundo fashionista dada por pessoas que não são modelos, para entrar clique aqui!

Pra quem vive nesse mundo ou estuda um pouco sobre a moda, sabemos que essa discussão ainda vai muito longe, mais não custa nada alguns conceitos serem revisados!

pense nisso!

besos besos.

Anúncios